Capa edição 8 ... 3.jpg
oitava edição banner.png
883.tif

RESERVAS

Por email clique aqui

Instagram: clique aqui

WhatsApp:

+55 (62) 91317637

+55 (62) 99457555

895.tif
297.jpg
Ex Libris.PNG
1.tif

IN HOC SIGNO VINCES

2.tif

A 8ª EDIÇÃO DO LIVRO DAS MOEDAS

"VERDADE ... LEALDADE ... LIBERDADE ... PROBIDADE ... UM IDEAL"

O INÍCIO, A CERTIDÃO DE NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO

"Quanto, Senhor, ao sítio desta terra, mande Vossa Alteza trazer um mapa-múndi que tem Pero Vaz Bisagudo e por aí poderá ver Vossa Alteza o sítio desta terra; mas aquele mapa-múndi não certifica se esta terra é habitada ou não; é mapa dos antigos e ali achará Vossa Alteza escrita também a Mina. Ontem quase entendemos por acenos que esta era ilha, e que eram quatro, e que doutra ilha vêm aqui almadias a pelejar com eles e os levam cativos. . .

. . . Somente mando a Vossa Alteza como estão situadas as estrelas do (sul), mas em que grau está cada uma não o pude saber, antes me parece ser impossível, no mar, tomar-se altura de nenhuma estrela, porque eu trabalhei muito nisso e, por pouco que o navio balance, se erram quatro ou cinco graus, de modo que se não pode fazer, senão em terra. . .

. . . Tornando, Senhor, ao propósito, estas Guardas nunca se escondem, antes sempre andam ao derredor sobre o horizonte, e ainda estou em dúvida que não sei qual de aquelas duas mais baixas seja o pólo antártico; e estas estrelas, principalmente as da Cruz, são grandes quase como as do Carro; e a estrela do pólo antártico, ou Sul, é pequena como a da Norte e muito clara, e a estrela que está em cima de toda a Cruz é muito pequena. Não quero alargar mais, para não importunar a Vossa Alteza, salvo que fico rogando a Nosso Senhor Jesus Cristo que a vida e estado de Vossa Alteza acrescente como Vossa Alteza deseja. Feita em Vera Cruz no primeiro de maio de 1500. Para o mar, melhor é dirigir-se pela altura do sol, que não por nenhuma estrela; e melhor com astrolábio, que não com quadrante nem com outro nenhum instrumento.

Do criado de Vossa Alteza e vosso leal servidor.

Johannes"

Trecho da Carta do Mestre João, documento escrito pelo espanhol João Faras, antes mesmo de Pero Vaz de Caminha, entre 28 de abril e 1 de maio de 1500, durante a viagem de Cabral ao Brasil, em um misto de espanhol e português quinhentista, dando ciência ao rei de Portugal D. Manuel I acerca do “descobrimento”.

A carta é famosa por fazer uma das primeiras descrições identificando a constelação do Cruzeiro do Sul. Nela o autor revela a existência de um antigo mapa-múndi pertencente a Pero Vaz Bisagudo, em que já constaria o sítio desta terra. A carta do Mestre João ficou conhecida somente no século XIX.

Descoberta pelo historiador Francisco Adolfo de Varnhagen, a carta foi publicada, pela primeira vez, na Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, 1843, tomo V nº 19. Situa geograficamente a “Ilha de Vera Cruz”, revelando ser já conhecida: “(…) Quanto, Senhor, ao sítio desta terra, mande Vossa Alteza trazer um mapa-múndi que tem Pero Vaz Bisagudo e por aí poderá ver Vossa Alteza o sítio desta terra; mas aquele mapa-múndi não certifica se esta terra é habitada ou não; é mapa antigo e ali achará Vossa Alteza escrita também a mina. (…)”.

Da Ilha de Vera Cruz ao Brasil de hoje, 521 anos se passaram. A carta do mestre João é o primeiro registro do início de uma nação que durante 322 anos foi a colônia mais importante de Portugal.

O IMPERADOR CONSTITUCIONAL

"...O imperador do Brasil não era um príncipe ordinário. A Providência lhe fez um poderoso instrumento da libertação, tanto no Brasil como em Portugal. Se nós, brasileiros, existimos como um corpo em uma Nação livre, se nossa terra não foi rasgada em pequenas repúblicas inimigas, onde apenas anarquia e espírito militar prevalecem, nós devemos muito à resolução que ele tomou em ficar entre nós, em realizar o primeiro grito por nossa independência... " (Evaristo Ferreira da Veiga e Barros).

A OITAVA EDIÇÃO DO LIVRO BENTES DE MOEDAS DO BRASIL

No próximo ano comemoramos os 200 anos da nossa independência. Um gesto singelo do nosso primeiro imperador, munido de grande força moral e de poucas palavras que ecoam através da história são o "divisor de águas" do "Brazil de ontem" e o "Brasil de hoje".

Foi pensando nesse marco histórico que decidimos dedicar ao nosso país e aos numismatas brasileiros, a 8a. edição do LIVRO BENTES DE MOEDAS DO BRASIL, o catálogo definitivo, soberbo, magnífico, único em seu gênero, a edição que prometemos há quase 10 anos e que finalmente, a partir de 5 de novembro deste ano, estará a disposição dos numismatas do Brasil e do exterior.

Das 7.500 unidades colocadas à venda, 5.000 serão destinadas aos colecionadores brasileiros. As 2.500 unidades à disposição dos numismatas estrangeiros, estão praticamente esgotadas em pedidos de reserva. Os colecionadores brasileiros serão contemplados com um brinde excepcional, o quadro sinóptico dos erros, defeitos e anomalias das moedas.

Elaborado no interesse de auxiliar a todos, desde iniciantes até colecionadores avançados, estudiosos e historiadores, a oitava edição é o resultado de quase 10 anos de intensa pesquisa e muito trabalho. Nela, procuramos conferir base sólida no aprofundamento do estudo dos diversos aspectos das cunhagens brasileiras. Tudo foi pensado na intenção de fornecer informações relevantes e indispensáveis a orientar o leitor no estudo da ciência numismática e na aquisição de novos exemplares para o seu acervo.

A CAPA DA OITAVA EDIÇÃO

É a homenagem de todos nós da MBA Casa Editrice, empresa do Grupo Bentes, ao reafirmar a nossa esperança num futuro que reserve a todos nós, brasileiros, a natural continuidade de uma história que começou a ser contada por homens valorosos como o nosso primeiro imperador, preocupados com as futuras gerações, com a sua terra e com os que viriam depois deles.

Dedicamos esse trabalho ao nosso país, à nossa gente, e à terra que tanto amamos.

BENTES GROUP

COMEMORATIVA DO BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA